Scroll Top

Transformação Digital 2.0: o que isso significa para TI

Transformação Digital 2.0

A transformação digital 2.0 é uma abordagem contínua de novas tecnologias para criar novos modelos de negócios, tornar as operações mais simples e gerar insights úteis para as empresas. Não é focada unicamente em alcançar objetivos específicos, mas, sim, em se tornar parte fundamental da estratégia e da cultura organizacional. 

Em um momento em que todas as empresas buscam por uma estratégia orientada por dados, a transformação digital 2.0 é fundamental para a digitalização completa dos negócios. Para isso, ela exige a implementação, além das tecnologias em si, de processos mais eficientes e metas bem definidas. Apenas com a integração desses três fatores, a estratégia será realmente bem-sucedida. 

A digitalização já é uma realidade em grande parte das empresas, e a maioria dos objetivos que as levaram a adotar uma estratégia de transformação digital já foram alcançados. Mas o processo não acaba aí, é necessário continuar investindo para acompanhar tendências, se manter relevante nos negócios e otimizar os benefícios que a tecnologia proporcionou até esse momento.  

É disso que a transformação digital 2.0 trata: usar novas tecnologias para criar novos fluxos de receita e garantir a sustentabilidade financeira da organização. 

A transformação digital 2.0 não é uma opção

O mundo dos negócios passa por diversas mudanças e para que as empresas consigam atender a novos requisitos e se manter à frente da concorrência, a transformação digital também precisa evoluir, por isso embarcar em uma jornada contínua deixou de ser opcional em um panorama econômico desafiador e competitivo. 

A transformação digital 2.0, portanto, se tornou a peça principal para as empresas continuarem investindo em inovação, agilidade e manter seu crescimento, inclusive desenhando a maneira com que interagem com funcionários, parceiros, fornecedores e clientes. 

Tendências para a transformação digital 2.0

Pensar no futuro envolve analisar as tendências tecnológicas que guiarão as empresas rumo a transformação digital 2.0. 

Inteligência artificial e aprendizado de máquina

A inteligência artificial (IA) e o aprendizado de máquina já vêm revolucionando a forma com que as empresas lidam com as informações em seu poder, mas ainda são utilizadas de maneira incipiente para as organizações detectarem padrões e gerarem insights para tornar processos mais eficientes, aprimorar a experiência do cliente e, principalmente, auxiliarem nos negócios. 

Internet das Coisas (IoT)

Conectar dispositivos, máquinas e sistemas para que coletem e analisem dados em tempo real permite que as empresas modernas otimizem processos, se tornem mais produtivas e reduzam custos e o uso de recursos. A conectividade proporcionada pela IoT torna a tomada de decisões aprimorada e impulsiona a inovação nos mais diversos setores da economia. 

Computação de borda

A descentralização do processamento de informações fornecido pela computação de borda reduz a latência, torna a segurança cibernética mais robusta e permite a análise de dados e geração de insights em tempo real. Com a Internet das Coisas, a computação de borda está se tornando um componente essencial para a transformação digital 2.0. 

Tecnologia 5G

O 5G promete velocidades de até 15 GB por segundo, baixíssima latência e conectividade com maior qualidade e estabilidade. Com a adoção da tecnologia, as empresas conseguirão abrir novas frentes de negócios devido ao alto poder de processamento de dados, comunicação otimizada e crescimento do uso da IoT. 

Blockchain

Para as empresas que já embarcaram na jornada da transformação digital, o blockchain traz diversos benefícios. Automação de processos, criação de um banco de dados inviolável e descentralizado, maior segurança cibernética, já que o sistema é praticamente inviolável, são apenas alguns deles. 

Computação quântica

A computação quântica utiliza “as leis da mecânica quântica para resolver problemas complexos demais para computadores tradicionais”, explica artigo da IBM. E ela terá papel fundamental para a transformação digital 2.0, pois oferece maior poder de computação e respostas mais rápidas que um equipamento comum ou até mesmo um supercomputador. 

A transformação digital 2.0 e a TI

O crescimento do uso de dispositivos móveis, trabalho remoto e mudanças no comportamento dos clientes exigem das empresas a adoção de uma estratégia de digitalização que ofereça os recursos necessários para manter a competitividade e o crescimento dos negócios. A transformação digital 2.0 é a resposta para esses desafios, entretanto, ela também revela outros problemas e vulnerabilidades que impactam diretamente na área de TI. 

Além dos desafios de infraestrutura, que precisarão ser analisados para que novas tecnologias sejam implementadas sem prejudicar o desempenho da rede, há outros fatores que a TI precisará resolver para que a adoção de uma estratégia de transformação digital 2.0 seja bem-sucedida. 

Aumento do risco cibernético

A transformação digital 2.0 está mudando a maneira com que a segurança cibernética é tratada pela área de TI. À medida que a superfície de ameaças cresce e novas tecnologias são adotadas, a equipe de TI precisa adotar uma nova estratégia de segurança que realmente mantenha as informações da empresa em segurança. 

Estudo do Instituto Ponemon mostra que 82% das empresas analisadas sofreram pelo menos uma violação de dados ao implementar novas tecnologias ou expandir sua cadeia de suprimentos, resultando em um impacto gigantesco nos negócios, sem falar no aumento dos custos para manter os sistemas à salvo. 

Isso exige das empresas a adoção de uma estratégia de segurança cibernética alinhada aos negócios de forma a garantir que os ativos digitais estejam protegidos. 

Dependência de serviços de terceiros

A aceleração da transformação digital 2.0 faz com que as empresas precisem do suporte de terceiros para comportar a estratégia, como provedores de nuvem, robótica, automação, IoT, análise de dados, entre outros. Com a maior facilidade de implementar novas tecnologias, a TI sofre com a Shadow IT — que é a implementação de soluções sem o conhecimento do setor —, tornando a análise de riscos mais complexa. 

Apesar dos benefícios de se trabalhar com provedores especializados, é preciso uma análise cuidadosa dos possíveis riscos, que podem, até, serem superiores às vantagens oferecidas. A empresa precisa estar totalmente à par desses riscos e preparada para gerenciar as possíveis ameaças, com a equipe de TI criando uma política transparente e eficiente de segurança cibernética para verificar os serviços oferecidos por terceiros e garantir uma rápida resposta caso alguma vulnerabilidade seja detectada. 

Atritos entre equipes

A adoção da transformação digital 2.0 pode gerar atrito entre as equipes de TI e de outros setores da empresa em relação à utilização dos ativos digitais. A segurança cibernética é muitas vezes vista como um entrave para o crescimento dos negócios e, como citado anteriormente, com a facilidade de acesso às novas tecnologias, muitos usuários simplesmente instalam novas ferramentas sem o conhecimento da área de TI, aumentando sensivelmente os riscos. 

Para evitar esse atrito, o setor precisa trabalhar de maneira alinhada com os demais departamentos da empresa, mantendo um canal de comunicação transparente e investindo em recursos de análise e gerenciamento de riscos para auxiliar na conscientização da empresa para entender a importância da segurança cibernética, para a transformação digital 2.0 e, principalmente, para os negócios. 

A transformação digital é um caminho sem volta e as empresas precisam integrar suas estratégias — negócios, segurança cibernética, digitalização — para que todos trabalhem em uníssono. A SVX pode ajudar sua organização a integrar as necessidades da área de TI com os requisitos dos negócios com o objetivo de alavancar seus resultados. Entre em contato e saiba como podemos te ajudar. 

+ conteúdo